Basílica Santuário Conceição da Praia

Santuário

História

Basílica Santuário Nossa Senhora de Conceição da Praia


BASÍLICA SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA PRAIA




1- HISTÓRICO

1.1 - A CONSTRUÇÃO


A Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia, ou Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, construída em 1549, tendo a sua matriz elevada em 1623 é uma das paróquias mais antigas da Arquidiocese de São Salvador da Bahia, no Brasil. O projeto foi desenvolvido em Portugal e sua atual construção que teve início em 1739 e seu fim em 1849, em estilo barroco, foi feita toda de pedra de Lioz trazida de Portugal, por solicitação da Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia, mantenedora da Basílica. As pedras foram coladas com óleo de baleia e a obra durou 300 anos, envolvendo três gerações de artesãos. Em 1946, foi elevada a Sacrossanta Basílica, quando o quando o Santo Papa Paulo VI declarou Nossa Senhora da Conceição da Praia, Padroeira única e secular do Estado da Bahia.


1.2 - CONTEXTO ESPACIAL DA BASÍLICA


A projeção da construção mede aproximadamente 2 562 metros quadrados (58,50 metros por 43,80 metros). A altura do edifício é de aproximadamente 26 metros, gerando um volume total de quase 67 mil metros cúbicos. O monumento está aberto ao público, o que o torna constantemente ocupado. Durante os tempos de grandes missas, o edifício é ocupado inteiramente. Dez funcionários fazem a manutenção e limpeza da igreja diariamente.


1.3 DETALHES E ACABAMENTOS

O piso, de mármore em forma de estrelas, possui duas cores, alternando entre o branco e o vermelho. Nos batentes dos marcos retalhados das portas da nave, há uma sugestão da qualidade das linhas das janelas de fora. Em cima das padieiras, há quadros pintados postos em molduras de madeira de linhas caprichosas e detalhes de estilo rococó, da época de 1760. Assim também são as sanefas dos arcos, que estilisticamente conduzem aos lambrequins e balaustradas de talha de madeira dourada da parte superior da nave, dando relevo e animação. O altar-mor também é feito de madeira talhada e dourada.
O corredor esquerdo conduz a um pátio com chafariz, onde nasce larga escadaria de mármore que leva à sala dos irmãos. Possui, na ante-sacristia, azulejos do tipo grinalda (século XVIII), e, na sacristia, azulejos de 1960. Na sacristia, exibe-se um ladrilho em mármore com bacia em concha.


1.4 - PINTURA DO TETO

A pintura do forro da nave é um vasto quadro tradicionalmente aceito como obra de José Joaquim da Rocha. Ela pertence à categoria chamada de "pintura de perspectiva" ou ilusionista, porque procura enganar os olhos do observador com falsa arquitetura e espaço ilusório. O assunto do quadro é a glorificação da santíssima Virgem da Imaculada Conceição, que aparece coroada de estrelas, em cima do seu símbolo particular – a lua nova. Aos seus pés, se veem quatro mulheres festivamente vestidas para lhe fazer homenagem. As duas à esquerda devem representar a América e a Europa. À direita, a Ásia e a África completam o grupo das quatro partes do mundo. Em cima da Virgem, figura da Santíssima Trindade, com o Agnus Dei adorado por são João Evangelista e o Santo Precursor. .


1.5 - ALTAR MOR

Na Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, Rainha e Padroeira do Estado da Bahia temos diversos elementos para nossa contemplação no presbitério: A Mesa da Palavra (Ambão) onde se proclamam as leituras e o Santo Evangelho. A Mesa da Eucaristia, onde ocorre a consagração do pão e do vinho no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.
O Nicho com a Imagem da Padroeira (Segundo o Apocalipse 12. A Virgem Maria é a mulher vestida de sol, que tem aos seus pés a luz. A imagem em tamanho natural ressalta a realeza da Mãe de Deus, pois para os Cristãos ela é Filha de Deus Pai que nos criou, Mãe de Jesus Cristo que nos salvou e esposa do Divino Espírito Santo que nos santifica).
Ao lado da imagem os 4 (quatro)evangelistas, sempre com os rostos iguais recordando-nos que quanto mais lemos os santos evangelhos nos aproximamos de Jesus e devemos nos esforçar para sermos parecidos com Ele. As colunas sempre retorcidas recordam a arte barroca (Arte do desequilíbrio), no altar temos pela oração a união entre o Divino e o humano, o céu e a terra! Outro objeto não pode passar despercebido é o tintinabulo (Símbolo de que a igreja é uma basílica – Extensão da Basílica de Roma).


1.6 - RELÍQUIAS ALTAR MOR

Em 15 de agosto de 1933, o padre Manoel de Aquino Barbosa, pároco da freguesia, repõe no seu primitivo lugar, isto é, no degrau superior da banqueta do Altar Mor entre o nicho da padroeira e o crucificado, a antiga custódia de madeira dourada, que ali existia em 1846 e que posteriormente dali foi retirada. Contém três relicários de prata com as seguintes relíquias: a) pedaço do véu de nossa senhora; b) pedaço do pálio de São José; c) pedaço do osso do Apostolo São Mateus. Essas relíquias que eram veneradas nesta matriz há mais de dois séculos, foram encontradas em abandono num recinto desprezível de um dos departamentos deste templo.


2- ADMINISTRAÇÃO BASÍLICA


2.1 - IRMANDADE SANTÍSSIMO SACRAMENTO E NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA PRAIA



As Irmandades são consideradas os principais agentes do catolicismo popular, com o objetivo de agrupar grandes números de fiéis em torno de um santo padroeiro. A Irmandade é uma organização religiosa de direito privado regido pelos Direitos Canônico, Direito Civil Brasileiro e acordo Brasil Santa Sé, pelo presente Estatuto e seu Regimento Interno sujeitando-se a autoridade do Arcebispo Primaz e composto por um número ilimitado de fiéis Irmãos (os) de maior idade civil que professem a religião Católica Apostólica Romana.

Ao ser elevada a grandeza de Paróquia, os devotos da Senhora da Conceição em 15 de agosto de 1645 fundaram uma Irmandade: à Santíssima Mãe de Deus, pela grande devoção com que todos amam e veneram. A atual Mesa Administrativa e o Conselho Fiscal da Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia foram eleitos no dia 01 de abril deste ano para o triêno 2017/2019.

Com o lema “Renova Irmandade por amor à Imaculada Conceição!, a nova administração conta com a Juíza – Marília Gabriela Silva Dias, a 1° Escrivão- Domingos Renato Falcão, o 1° Tesoureiro – Thomaz Gonçalves de Jesus Neto, o 2° Tesoureiro- Geraldo Nascimento, o 1° Procurador – Marcos Antônio Silva Dias e a 2° Procuradora – Zenaide dos Anjos da Silva. Para o Conselho Fiscal assumem Cristian Miguez Casqueiro, Maria José Catarina de Medeiros e Sérgio Góes Dantas Barbosa.


2.2 - ENTENDA AS VESTES DA IRMANDADE


Considerando a tradição secular da Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia nas festas e solenidades a Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento e a Nossa Senhora, nos atos públicos ou particulares (Cânon 27), as Irmãs usarão sempre a Opa na cor azul, em toda e qualquer Solenidade e Festa, representando o manto de Nossa Senhora, exceto aquelas que pertencem a Mesa Administrativa ou Conselho Fiscal, que usarão a Opa igual aos Irmãos.

Os Irmãos usarão Opa Encarnada (cor de vinho), nas solenidades em honra ao Senhorio de Jesus, Pentecostes, nas festas dos Santos e Santas e Opa branca (em toda e qualquer Solenidade e Festa em honra a Nossa Senhora), sempre com traje social (homens de terno e gravata e mulheres traje social de manga e em tons sóbrios).

3- DEVOÇÃO A NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA PRAIA


Todos os dias somos agraciados pela bênção de Nossa Senhora Imaculada Conceição. Estamos vivenciando em 2019 um tempo muito especial de carinho e devoção, comemorando os 470 anos de Fé e Devoção a Nossa Senhora da Conceição da Praia, Padroeira Excelsa e Única do Estado da Bahia.

A devoção a Nossa Senhora da Conceição da Praia coincide com a própria origem da cidade de Salvador, uma vez que foi trazida pelo primeiro governador geral do Brasil, Tomé de Souza que mandou construir a primeira capela de taipa em seu louvor. Em 1549, os navios portugueses atracaram em Salvador. Uma imagem da Padroeira de Lisboa acompanhava as grandes viagens da tropa. A capela em homenagem a Nossa Senhora Imaculada Conceição foi erguida na parte mais alta da colina.

Nossa Senhora da Conceição da Praia foi à padroeira do Brasil Império sendo o seu culto o primeiro a ser realizado pelos portugueses no Estado da Bahia. A imagem, única em todo mundo, foi assentada em uma primeira construção, cujas ruínas existem até hoje. Sua fama atraiu tantos fieis que foi necessário construir uma Igreja maior. O nome Conceição da Praia surgiu em criação da própria população. Por se situar próximo à praia, ficou conhecida como Conceição da Praia. Neste local os comerciantes e marinheiros do porto realizavam suas preces a padroeira da cidade.

No ano de 1854 o Papa Pio IX proclamou o dogma da Imaculada Conceição e consagrando o dia 8 de dezembro aos festejos em homenagem a virgem. Entretanto o culto a Nossa Senhora já havia sido oficializado em Portugal. No dia 25 de março de 1646 o Rei Dom João IV, realizou uma cerimônia solene, em Vila Viçosa para agradecer a Nossa Senhora a graça alcançada, declarando a Nossa Senhora da Conceição como padroeira e rainha de Portugal. O Rei torna oficial e obrigatória à realização de homenagens no território lusitano e nas suas colônias.

A raridade da imagem de Nossa Senhora Imaculada Conceição reinou absoluta até 1946, quando foi proclamada Padroeira da Bahia e os devotos ganharam uma segunda imagem, carinhosamente apelidada de peregrina. Neste mesmo ano ao ser elevada à categoria de Basílica, abrigou a sepultura da Bem Aventurada Dulce dos Pobres.

A visita de Deus pelas mãos de Maria quer atingir todos os corações e transformar-nos desde dentro, somos convidados, em primeiro lugar, a apreender a “estar com jesus”, e, então, nossa vida em sociedade se transformará completamente.

Elevemos o nosso coração ao Pai e que nossa Mãe, a Imaculada Conceição, nos acompanhe nesta caminhada de amor é fé!

Nossa Senhora da Conceição da Praia tornou-se uma das imagens mais célebres da América do Sul, não só pela perfeição da sua escultura, mas, sobretudo, pela devoção quatro vezes secular que lhe consagra a Bahia, pelo culto que lhe é prestado ininterruptamente desde o primeiro ano da fundação da cidade do Salvador e, ainda pelas inumeráveis graças obtidas pelos fiéis que não se cansam de invocar a sua extraordinária mediação junto a Deus e proclamam o constante auxílio da sua proteção e misericórdia.

No Brasil nenhuma outra imagem dispõe de títulos tão nobres, nem a supera, quer na perfeição e riqueza da sua escultura, e na formosura da sua verônica, quer na antiguidade do culto que lhe é prestado.



4- O SANTUÁRIO HOJE: COSTUMES E TRADIÇÕES (FESTA)



Atualmente, o Santuário Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia celebra a festa de Nossa Senhora da Conceição, no dia 8 de dezembro, a principal solenidade. Em preparação para a festa, os fiéis participam da Novena no período de 29 de novembro a 07 de dezembro. A solenidade, está ligada à história de Salvador e Bahia e é uma devoção dos primeiros momentos do Brasil, reúne milhares de fiéis para celebrar a festa da padroeira da Bahia. Nesse dia, o programa conta com missas e uma procissão pelas principais ruas do distrito comercial, em Salvador (BA).

As três mais antigas referências históricas à festa da Conceição da Praia têm pelo menos 800 anos.
A primeira delas aconteceu em 1147, com o início da devoção à Santa, em Portugal. De acordo com alguns relatos, os portugueses tornaram-se devotos de Nossa Senhora da Conceição, assim que conseguiram retomar Lisboa do poder dos mouros. Outra versão marca o ano de 1549. Segundo historiadores, a tradição começou neste país, logo que a cidade de Salvador foi fundada pelo governador-geral do Brasil, Tomé de Sousa, devoto da Santa.

Uma terceira teoria remonta à década de 30, quando o Monsenhor Aquino Barbosa, vigário da Conceição da Praia, sugeriu a uma baiana do acarajé que instalasse uma barraca maior para vender comida. A partir daí, começou o lado festivo que, até hoje, atrai milhares de pessoas. Os festejos começam ainda no final de novembro, com a novena que acontece todas as noites na Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio. A celebração envolve uma missa campal e procissão. Paralelamente, ocorre a tradicional festa de Largo, nas imediações do Mercado Modelo, com barracas de comidas típicas e bebidas, unindo a profana alegria do baiano à sagrada devoção religiosa.

Além da tradicional festa da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, a Basílica também integra a procissão da festa do Bom Jesus dos Navegantes, comemorado pela paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, e as procissões de São Francisco Xavier e Corpus Christi. O dia 8 de dezembro foi formalizado como o dia de Nossa Senhora porque foi a data em que o dogma da Conceição de Maria foi proclamado pelo Papa Pio IX em 1854.



5- SANTO PAPA PAULO VI E A PROCLAMAÇÃO DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA PRAIA



O dia 4 de novembro de 1971, se tornou uma das mais importantes efemérides da Igreja na nossa terra por motivo de aprovação pelo Santo Padre Paulo VI da escolha unânime da Assembleia Legislativa de Nossa Senhora da Conceição da Praia como Padroeira única e oficial do Estado da Bahia.

Regressando de Roma em 8 de novembro, após o término do III Sínodo, o Exmo. Sr. Arcebispo Primaz reuniu no dia 11 a imprensa baiana para comunicar-lhe que, antes de partir para a cidade Eterna, foi procurado por uma comissão da Assembleia Legislativa, solicitando-lhe a concessão do título da Padroeira do Estado da Bahia para Nossa Senhora da Conceição da Praia.

A proclamação oficial de N. S. da Conceição da Praia, como Padroeira única do estado da Bahia, foi celebrada, com a maior solenidade e em praça pública, no dia 15 de novembro, com a programação organizada pelo Governo do estado e aprovada pela autoridade eclesiástica.



DESTAQUES

DOGMA IMACULADA CONCEIÇÃO

O Papa Pio IX, no dia 08 de dezembro de 1854, juntamente com 54 cardeais, 43 Arcebispos, 100 Bispos e mais de 50 mil romeiros, que vieram do mundo todo, declarou a Bula “INEFFABILIS DEUS” , que traz o seguinte dogma: “É de Deus revelada a Doutrina que sustenta que a Virgem, Bem-Aventurada Maria, no primeiro instante de sua conceição (nascimento), por singular Graça e privilégio do Deus Onipotente, em vistas dos méritos de Jesus Cristo, o Salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original, e dessa maneira deve ser crida por todos os fiéis”.
Desde este dia, os Católicos passaram a acreditar que Maria nasceu Imaculada, quer dizer, sem mácula, sem mancha, sem pecado, não tendo herdado o pecado de Adão, como todos os outros herdamos.
O Dogma ainda fala que a Bem-aventurada Virgem Maria, desde o primeiro instante de sua concepção, foi preservada do pecado original. Um privilégio dado por Deus por causa do seu divino Filho.

POR QUE A BASÍLICA SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA PRAIA É A CASA DA PADROEIRA DO ESTADO DA BAHIA?

A Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia é a casa da Rainha e Padroeira única do Estado da Bahia. Este título de Padroeira foi dado a época a pedido do Cardeal Dom Avelar Brandão Vilela, o então Arcebispo de Salvador, juntamente com o clero baiano e da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia. O Papa Paulo VI a proclamou  EXCELSA PADROEIRA OFICIAL E ÚNICA DO ESTADO DA BAHIA. Assim,  a solenidade da Imaculada Conceição, dogma oficialmente proclamado no dia 08 de dezembro de 1854, através da Bula Ineffabilis Deus, escrita pelo Papa Pio IX, a Bahia também celebra, com muita intensidade, este dia dedicado a Nossa Senhora. 

Cumprindo sua missão , a Basílica é um lugar de evangelização, reconciliação e peregrinação.
Elevemos o nosso coração ao Pai e que nossa Mãe, a Imaculada Conceição, nos acompanhe nesta caminhada de amor é fé!



PRIMITIVA ERMIDA OU 1ª CAPELA DA CIDADE DO SALVADOR BASÍLICA SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DA PRAIA



A Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, ou Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, sua primeira igreja foi feita por determinação do primeiro governador-geral do Brasil, Tomé de Sousa em 1549, quando da fundação da cidade do Salvador, em 1549. Em 1623, o templo foi elevado a Matriz da Nova Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Praia, é a uma das paróquias mais antigas da Arquidiocese de São Salvador da Bahia, no Brasil. Em 1736, as Irmandades do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia se juntaram e decidiram reedificá-lo. O projeto, atribuído a Manuel Cardoso de Saldanha, foi enviado de Portugal para ser executado em pedra Lioz. A atual igreja foi iniciada em 1739 e inaugurada em 1765, mas suas obras só foram concluídas em 1849. As plantas foram feitas pelo engenheiro militar Manuel Cardoso de Saldanha, sendo que o executor dos materiais foi o mestre pedreiro Manuel Vicente. O mestre pedreiro arquiteto Eugénio da Mota, de Portugal, preparou as pedras e acompanhou seu transporte para Salvador, ficando responsável também pela edificação do monumento. O objetivo foi criar uma edificação destinada ao culto religioso. A construção compreende, além da igreja, dois corpos laterais que abrigam atividades da mantenedora da Basílica a Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição da Praia.

Sua elevação a sacrossanta basílica se deu em 1946. O Papa Pio XII declarou Nossa Senhora da Conceição padroeira única e secular do Estado da Bahia. Recebeu o título de basílica menor por meio da Carta Apostólica Coruscantis sideris, de 7 de outubro de 1946, do papa Pio XII. Se localiza próximo ao Elevador Lacerda e ao Mercado Modelo, sendo muito visitada pelos turistas.


 


 




A Capela da Conceição da Praia representada em ilustração de 1625 (ao centro). À direita, está representada a Ladeira da Conceição e, à esquerda, os antigos guindastes mecânicos para transporte de mercadorias.

 


Curiosidades !



De acordo com a Arquidiocese de Salvador, Nossa Senhora da Conceição da Praia tornou-se Padroeira do Estado na gestão de Dom Avelar Brandão Vilela.
O dia 8 de dezembro foi oficializado como o dia de Nossa Senhora por ser a data em que foi proclamado o dogma da Conceição de Maria pelo Papa Pio IX, no ano de 1854, que confirmava que a concepção da mãe de Jesus havia sido sem pecado. A pedido dos participantes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil Regional Nordeste III, o Papa Paulo VI decretou Nossa Senhora da Conceição da Praia como padroeira da Bahia.
Tombada pelo Instituto de Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) desde 1938, a Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia era uma pequena capela em 1549, ano em que foi construída por ordem do governador do Brasil Thomé de Souza. No século 20, em 1946, a igreja recebeu o título de Basílica Menor. No ano de 2010, o cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo proclamou a igreja ao status de Santuário Mariano Arquidiocesano, considerado “Coração Mariano da Arquidiocese”.
No século 20, em 1946, a igreja recebeu o título de Basílica Menor.
No ano de 2010, o cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo proclamou a igreja ao status de Santuário Mariano Arquidiocesano, considerado “Coração Mariano da Arquidiocese”.

SEPULTAMENTO IRMÃ DULCE NA BASÍLICA DA CONCEIÇÃO DA PRAIA



A Irmã Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, mais conhecida como Irmã Dulce, Beata Dulce dos Pobres ou Bem-Aventurada Dulce dos Pobres, "o anjo bom da Bahia, que também pertenceu a esta Irmandade, e se estivesse viva no dia 26/05/2019, completaria 105 anos.


Além da reportagem abaixo descrevendo o seu sepultamento realizado na Basílica em 1992, hoje no altar do Santo Cristo possui uma relíquia da mesma, pois no ano de 2000 Em 2010, corpo foi sepultado em local definitivo. O caixão com o corpo de Irmã Dulce passou oito anos na Igreja da Conceição da Praia. Em maio de 2000, os restos mortais da freira foram levados para a Capela do Convento Santo Antônio.


https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/especial-irma-dulce-apos-morte-filhos-de-todas-as-classes-se-despediram-em-dia-historico/


Basílica Santuário Nossa Senhora da Conceição da Praia - Salvador - BA